domingo, 26 de abril de 2009

Daodejing cap.1

道可道也,非恒道也。
名可名也,非恒名也。
无名,万物之始也。
有名,万物之母也。
故恒无欲也,以观其妙。
恒有欲也,以观其所徼。
两者同出,异名同谓。
玄之又玄,众妙之门。

dào kě dào yě, fēi héng dào yě。
míng kě míng yě, fēi héng míng yě。
wú míng, wàn wù zhī shǐ yě。
yǒu míng, wàn wù zhī mǔ yě。
gù héng wú yù yě, yǐ guān qí miào。
héng yǒu yù yě, yǐ guān qí suǒ jiào。
liǎng zhě tóng chū, yì míng tóng wèi。
xuán zhī yòu xuán, zhòng miào zhī mén。

A Verdade que pode ser descrito em palavras não é a Verdade permanente.
O Nome que pode ser nomeado não é o Nome permanente.
Não tendo nome é o princípio de todas as coisas.
Tendo nome é a mãe de todas as coisas.
Assim, quem permanece sem desejo, vê a essência.
Quem permanece com desejo, vê a expressão.
Os dois têm a mesma origem, diferenciando-se nos nomes com que são chamados.
Profundamente oculta é a porta para se conhecer a essência dos seres.

Um comentário:

MandarimWel disse...

Mil perdoões, Não consigo achar você no Orkut.
Estou usando esse canal para tentar me comunicar com o Sr..
Preciso de ajuda, traduzi uma poesia, tive muita dificuldade e estou meio inseguro em relação a tradução, peço que, caso possível, ajude-me, comente, corrija ou de sua versão para a tradução.
梅溪(*)
(张籍)
自爱新梅好,
行寻一径斜。
不教人扫石,
恐损落来花。

“Meixi” (*)
Um novo amor próprio encontrei na flor de ameixeira.
Ao longo do percurso encontrei um caminho íngreme .
Não se ensinam as pessoas a varrerem as pedras.
Temo pela flor, que, ao cair (no chão) se fere.

(*) flor de ameixeira que existe a muito tempo nas encostas dos vales (com riachos).

O que acha ?

Mil desculpas novamente...

Abraço.

Welbi